Sem litígio

Que as palavras amanheçam

Tornadas versos sibilados por desejos

Verdadeiros, intensos.

Que as cicatrizes

Possam se curar

Resguardadas por belas tatuagens.

Que nossos crimes

Possam ser perdoados

Pequenos que somos em nossa humanidade.

Passeio pelo bosque, Kunsthalle de Hamburgo, 1876.

Publicado por Ana Luisa Bittencourt

Não sou escritora, nem blogueira. Apenas escrevo, eventualmente, em verso ou prosa. Meus textos são todos autorais.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: