Raso

Parece haver um senso de urgência Non sense Inúmeros devaneios de prestígio Provincianos Falas em excesso, poucos silêncios A despojar a musicalidade das coisas. Ao me deparar com o ridículo Me calo (mais do que de costume) Pois não serei aquela a apontar A bestialidade dos seres A desimportância dos fatos O absurdo dos gestosContinuar lendo “Raso”

Interstício

acabou o baile e a fantasia jaz ao lado da pista … turvam-se os brocados desfazem-se os sorrisos empoeiram-se os enfeites inertes … aproxima-se o inverno e as noites ficam mais longas … recolho-me sem sol sem sonidos sem esperas.