Quase primavera

O sol voltou a brilhar quente naquela quase primavera. As estações pareciam enlouquecer, assim como o mundo. Uma semana antes havia feito muito frio e chuva. Agora, o calor voltou a ser um convite ao sol, aos passeios, à vida lá fora. As sardas denunciavam o aceite a essas jornadas. Viver não parecia mais tão perigoso.

As novas floradas das árvores voltavam, aos poucos, a colorir a cidade. Se ainda havia rancor pelo abandono e pela insignificância, havia também um crescente sentimento de superação e exaltação da vida. A poda ajuda o crescimento, traz vigor ao que insiste em brotar.

Fiquei rememorando lembranças de outrora. Foi numa quase primavera que minha barriga, pela primeira vez, se agigantou pela vida que também crescia dentro dela. Momento sublime. Lembro-me dos movimentos dentro de mim, do pezinho que vez ou outra formava uma pequena elevação que percorria meu abdômen, da expectativa feliz de todos os dias pela vinda. Meu primeiro filho nasceu num quase verão, no último dia daquela primavera. Trouxe novos cheiros, movimentos, pequenos ruídos, um novo ritmo à existência.

O convite à vida se faz novamente, desta vez com ela se agigantando do lado de fora. Talvez sempre esteja à espreita, de alguma forma. Por mais cansados que estejamos das quase mortes que nos rondam (pela impossibilidade de viver o que se pode em plenitude), a força da continuidade é profícua. Viver é agora, é urgente. Que venha o sol!

Tela de Dorothea Sharp, A jovem jardineira, 1890.

Publicado por Ana Luisa Bittencourt

Não sou escritora, nem blogueira. Apenas escrevo, eventualmente, em verso ou prosa. Meus textos são todos autorais.

3 comentários em “Quase primavera

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: