Silêncio

Não há como negar: sinto coisas difusas e inexprimíveis. Sob diversas formas, estes sentimentos tomam meus pensamentos e desalinham meu equilíbrio. Desconheço a paz sob a forma de “manso lago azul”. Meu interior é cheio de ondulações. Às vezes me assombram ventos e algumas tempestades. As coisas têm sido um tanto efêmeras, mas nem por isso insignificantes. Isto torna tudo mais penoso, mais complexo. Isto definitivamente não significa sossego. Talvez inquieta seja minha alma. Flerto com o silêncio em sonhos.

Publicado por Ana Luisa Bittencourt

Não sou escritora, nem blogueira. Apenas escrevo, eventualmente, em verso ou prosa. Meus textos são todos autorais.

2 comentários em “Silêncio

  1. O que seria dos sons não fosse o silencio.Eis uma forma de comunicação tão pouco explorada atualmente. É como se a vida só existisse com ruídos e sons. O silencio veio antes dos sons. Ele deve conter o pensamento primevo. Silenciosamente converse com ele.No silencio entramos em nosso interior e ali ficamos, se nos dermos bem conosco.Gosto do silencio e dos sons. São bons são do mundo.Papi

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: