Idéia Fixa

Era uma menina cismada. Algo acontecia e aquilo ficava dias lhe rondando os pensamentos. Alguém lhe incomodava e aquela pessoa passava a fazer parte de sua rotina, hora após hora em sua cabeça, imaginando cenas e situações que ainda poderia viver. Sua mãe lhe dizia: deixe de devaneios, menina! Escute uma música, olhe as estrelas… Seus ouvidos ouviam as melodias. Seus olhos se encantavam com a lua. Mas sua cabeça distava de tudo aquilo. Longe, junto de seus pensamentos, de suas fixas idéias cotidianas.
Aconteceu que um dia, ela cismou de cismar com palavras. Uma a uma iam lhe aparecendo e ela passava horas compondo histórias, construindo idéias, inventando rimas. Gostou desta cisma. Esta lhe agradava. Esta lhe permitia olhar para a lua e as estrelas, estar com elas e pensar sobre elas. Permitia-lhe ouvir músicas e prestar atenção em suas rimas, descobrindo-as óbvias ou fascinantes. Passou a escrever o que lhe vinha à mente. Deixou seus pensamentos sobre o papel e passou a partilhá-los com outros, que liam seus textos. Descobriu um vício, uma coceira. Tornou a fantasia palpável, palatável. Não deixou de cismar. Talvez nunca deixasse.

Publicado por Ana Luisa Bittencourt

Não sou escritora, nem blogueira. Apenas escrevo, eventualmente, em verso ou prosa. Meus textos são todos autorais.

Um comentário em “Idéia Fixa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: