Pés no chão

Ela nunca havia tido medo de avião. Mas agora sentia enorme angústia ao voar. Pensar na fragilidade daquela situação, na possibilidade de qualquer pequeno erro levar tudo (e todos) pelos ares – literalmente – a apavorava. Cada minuto de voo se tornara, nos últimos tempos, um exercício de afastar pensamentos desagradáveis e persistentes e de tentar encontrar distrações em meio ao enjoo, às turbulências, aos atrasos.
Metáfora da vida: gostava de andar com os pés no chão. Embora sonhasse com situações além da realidade imediata e não se acomodasse frente ao conquistado, nada era sem planejamento. Havia um exercício de percepção, de mergulho no ser e na vida, buscando entender, sempre e pouco a pouco as pessoas e situações que a envolvia. Sim, definitivamente, seus pés gostavam do solo, da terra, da sensação de saber os caminhos que trilhava e de escolher seus percursos. Voar apenas na imaginação. Andar em terra firme, seus próprios passos.

Publicado por Ana Luisa Bittencourt

Não sou escritora, nem blogueira. Apenas escrevo, eventualmente, em verso ou prosa. Meus textos são todos autorais.

Um comentário em “Pés no chão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: